sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Amadurecer nem sempre é fácil!

No auge da minha adolescência, tive tantas experiências que posso dividir uma em especial com vocês.

Em 1997 , me envolvi em uma ação beneficente, a principio contra a minha vontade, pq minha Avó Nair, me inscreveu, sem eu saber,  porque não aguentava mais eu chegando as 6hs da manhã das baladas aos sábados. Fiquei uma fera!!!! Eu não podia mais dormir até o 12:00. Mas não sobrou só pra mim, ela também deu nome da galera toda, meus irmãos e primos...então sobrou pra todo mundo!!!!

Íamos para o Bahamas ou Sambarylove às sextas, chegávamos em casa às 7 da manhã. Só dava tempo de tomar uma ducha e lá íamos nós, aprender o que era na pele a solidariedade!

Minha primeira visita à um orfanato foi Punk!!!

Cheguei toda segura de si, com as músicas na ponta da lingua pra entreter a criançada.

Pensei comigo: " Vixi, essa vai ser mamão com açucar!"..."Aff ! Sem crise!!!" " Deixa comigo!".

Huh! Quem dera!!!

Aquela mulequecada e bando de adolescentes seguros, todos empolgados no busão fretado, cantando, zuando...logo aprenderia a dar valor às oportunidades, que tinham todos os dias e nem ligavam!

Descemos do "busão", cheios de querer....Naquela euforia!!! E aos poucos fomos separados em líderes e grupos...eu como sempre no grupo dos músicos, com o Daniel e Tio Carlinhos ( eram assim chamados os nossos lideres).

Entrei... com a boa educação, que graças a Deus meus pais me deram, dando bom dia à todos, com a cara cheia de maquiagem da noitada, que nem deu tempo de tirar!!!! Estava na cara, que eu tinha chegado da farra .....Aí que  fiasco!

De repente, surge do nada aquele monte de crianças nos rodeando, nos beijando e abraçando.

Felizes só pq nós, os "cheios de querer", os " sabe tudo", estávamos lá, pra dar algo que nós tinhamos o tempo inteiro e nem notávamos!

Sim , minha gente, eles queriam isso mesmo, o Amor.

Ah o Amor!!! Palavra pequena, que tem tanta força e significado!

E aquilo doeu em mim, de uma forma tão cruel! Um choque de realidade que a vida me proporcionou , que com certeza, me definiu como pessoa.

Ali, naquele momento, eu tive a dimensão do que eu tinha todos os dias, e não dava a mínima.

Ali, eu vi que, Graças a Deus tinha meus pais, meus irmãos e uma família que independentemente de qualquer coisa, estavam sempre unidos: No caviar ou no canjão, ou na sopa de fubá.

Então, chegou um menino, chamava-se Léo (nunca mais esqueci o nome dele!), e me falou assim: "Você quer ser minha mãe? Pq você não me leva pra sua casa!?"

- Meu Deus!!!

Naquele momento, pareceu que,  abriram um buraco e eu fiquei sem chão, com choro entalado na garganta, sem resposta.

A única reação que eu tive foi, abraçar aquele menino, e chorar. Agradeci a Deus por eu estar ali, e expliquei pra ele o porquê, que eu não podia levá-lo comigo.

Me recompus, e falei que enquanto eu estivesse ali, eu poderia ser uma irmã mais velha, que cuidaria dele até o momento que eu tivesse que partir.

Então, nos juntamos à trupe toda, Tia Silvia vestida de palhaça, Daniel e Tio Carlinhos com os violões, Jana, Paula, meus irmãos, os meninos com os instrumentos de samba...e nos divertimos até o momento de nos despedirmos.

Ah! A despedida!

Ela é cruel quando a vontade que se tem,  é de apenas que aquele momento bom não acabe....

Todas as crianças felizes e tristes ao mesmo tempo,  por ter que dar adeus...não foi fácil!

E assim eu aprendi, que ser feliz não é ter tudo, e sim ser amado!

Ser solidária,  fez de mim e fará de você uma pessoa muito melhor! Não deixe a oportunidade de fazer alguém feliz passar. Não perca tempo!!! Ame e seja amado sempre! A melhor surpresa da vida é o amor incondicional...esse faz tudo e esse suporta tudo!

Se você quiser, você pode compartilhar desse amor que você tem de sobra...é só unir-se aos que, tiveram a primeira atitude pra mudar esse mundo e fazer dele um lugar muito mais lindo, humano e feliz!

Junte-se à eles, porque o AMOR independe da cor da sua pele, das suas opções sexuais e religião. Pronto Falei!

 
 Ou Escolha a sua de preferência aqui!




Luv Ya

Angel K.

0 comentários: